Naftalina Azul

Onde a mente se conecta com a vibração dos seus batimentos cardíacos. Até onde você for, eu irei. Sou seu café da manhã, seu almoço, sua janta. Sou tudo que você jamais teve.

Todos os TEXTOS publicados aqui, exceto os que foram reblogados são de minha autoria.

Eu adorava mistérios e acabei me tornando um.

Gabriel Silva.  (via alquimismo)

(Source: p-r-e-s-u-m-o, via princesinha-ironica)

Cinza avermelhado (fio terra)

Enquanto andava pelas ruas estranhas dessa cidade eu me perguntava silenciosamente se os carros elétricos eram de fato elétricos e se os bebês realmente cagavam nas fraldas descartáveis. O meu companheiro de caminhada estava ébrio, mas isso não fazia a mínima diferença, pois eu era auto suficiente naquele momento e não precisava de ninguém e de nada para completar o ciclo de observações sombrias sobre o comportamento humano e suas limitações físicas. Apesar de tudo, sentia a areia que era soprada suavemente pelo vento penetrar nos meus olhos, deixando-os cada vez mais avermelhados. Em um momento senti vontade de coçar o cu, mas resisti, pois havia muitas pessoas invisíveis ao redor. Optei pelo silêncio que ensurdece os mais fracos.

À certa altura já nos encontrávamos debaixo de uma ponte com uma arquitetura peculiar, realizando atos obscenos e conversando sobre aquilo que consideramos arte. Meu companheiro de caminhada começou a se masturbar sozinho, sem o auxílio de qualquer meio digital. Foi muito rápido, mas eu senti o cheiro do seu pau e do sêmen que jorrou com “vigor”. Tentava capturar cada expressão para guardar em meu cérebro e mais tarde transformar tal ato grotesco e infame em imagem. Eu senti vontade de enfiar meu dedo no cu dele, mas confesso que tive medo de me sujar com merda, cocô, fezes…

Foi uma pena que o cabelo dele cobriu seus olhos no momento do ápice…

SURFANDO NO TOALETE

Somos dois estranhos, mas nossos copos dançam como bailarinos profissionais,
Sua roupa de surf colada me assusta um pouco, mas logo me acostumarei.
Uma noite romântica, amantes que se amam, pleonasmo, tudo junto em um só colchão,
Pele branca e pele negra, palavras profundas, partes de mim em você e vice-versa,
Eu tento não ser mais quem eu era e as cinzas de nosso cigarro caem sobre o cachimbo.

Um dia eu pensei que seria divertido comer baratas vivas, mas os meninos me fizeram engolir o seu esperma para provocar vômito, mas foi decepcionante. Acabei engravidando de todos eles e agora não sei como irei contar aos meus pais. Paraíso. Fogos de artifício. Cadeirantes e Nutella. Brincadeiras astutas e uma mão religiosa sobre o meu pau. Foge!

Dominando o mais fraco (Buraco do seu cu)

Caminhando em uma trilha de cinzas de catarro e celebrando os portais abertos ao longo do percurso, penso, desisto e me masturbo e ejaculo na mão do meu irmão mais novo, Matheus. Já faz algum tempo que nós dois temos uma conexão sexual. Tudo começou na piscina de borracha lá na casa ou barraca, como queira interpretar meu leitor estranho. Estávamos a brincar de afogar um ao outro, e em um momento percebi uma pequena ereção nele. Não perdi tempo e o chupei ali mesmo, na frente da casa. Ainda me lembro do gosto do sêmen dele. Éramos jovens, para ser mais preciso, adolescentes com hormônios sendo exaltados por coisas mundanas. Enfim, não quero me prolongar muito nessa breve volta ao passado, pois os detalhes dos atos que vieram a ocorrer após nossa primeira conexão podem chocá-lo, querido leitor. De qualquer forma, digo-lhes que nossas conexões envolviam urina, fezes, areia da Praia Brava em Itajaí, sacos plásticos e coisas que não me atrevo a revelar.
Eu realmente gostei de beber o sêmen dele hoje naquela trilha marcada por catarro de pessoas desconhecidas, ainda mais sabendo que foi desse esperma que nasceu minha sobrinha Julia.
Incesto? Amor? Perversão? Realmente não sei dizer. Tudo que sei é que Matheus tem um pênis muito liso e limpo, agradável para realizar o sexo oral, além de seu sêmen ser muito fértil. Ele adora quando eu enfio três dedos em seu ânus enquanto o chupo. Seu ânus é muito limpo também, jamais reparei nenhum sinal de fezes ou algum cheiro desagradável em nossas conexões. Acredito que somos dois reis presos em um mundo familiar mascarado pelo capitalismo e por ideias pré-fabricadas exibidas naquele estranho aparelho chamado TV

Onde Mendigo se torna Menino

Ando pelas vielas destruídas e infectadas por fezes de pombos elegantes, sinto o seu cheiro,
Observo os transeuntes desnudos e choro sobre a comida estragada, reservo uma vaga,
Coloco meus pés no chão, fico envergonhado e grito comigo mesmo. As senhoras são prazerosas,
Tento não ter uma ereção, rezo um Pai Nosso, o vento sopra raivoso, o amor quase morre.
Minhas emoções estão confusas e minha alegria se desintegra, me torno gelado e mórbido.
Defeco algumas frases para o vendedor ambulante e nós fazemos sexo na garagem coletiva,
Minha boca fica cheia de pelos pubianos. Acho que vou ter uma crise de abstinência,
A dor no meu nariz se torna mais aguda, vou comprar!

Eu estou sentado em um banco debaixo de uma laranjeira, me pergunto o porquê de a chuva cair tão forte sobre meus sonhos. Há veneno, há dor e há brigas com sabor de amêndoas. Hoje à noite seremos mais uns amantes do que marido e marido. Chega disso! Quero sair dessa relação, fugir, desaparecer e quero ainda ler um livro inteiro. Assim como a música toca…

Foi-me dito e há-se feito,
no mais intocável dos cumes límpidos:
poemas enterrei no teu peito pequeno, e nas
nuvens emburacadas, que encantam,
com o silêncio,
lírico, enrubescido, sereno…
Eu vi pirâmides e paixões galantes
nos universos-cílios que teus olhos cantam.

Annd Yawk (via sensibilista)

(Source: prisioneiro-da-morte, via sensibilista)

Não me faz te odiar. Eu quero continuar a gostar de você. Gosto de você sendo uma boa moldura e um quadro ruim, gosto de procurar você nas pessoas, e nos lugares que sei que não vai está. Imaginar encontros, desencontros e pontos em comum. Então eu te peço, não estraga isso, não faça eu mate-te por mais uma vez ter me feito uma promessa bonita e continua incapaz de, ao menos, chegar no horário combinado. Não estraga, gosto de falar asneiras e fazer poesia barata com esse amor nunca usado. Ele é inspiração para minha vida.

October, 1994. (via delator)

(Source: florejaram, via sexcelen-tt)

Minha mãe usa óculos para fazer as torradas, o meu pai usa óculos para cortar vidro,

Eu uso óculos para acreditar em coisas antigas, é uma vergonha, uma vergonha,

É uma vergonha, vergonha… Tenho vergonha, muita vergonha, vergonha de mim mesmo,

Meu pai, minha mãe, todo mundo… Todo lado, todo escândalo familiar, tudo está girando.

E eu estou deixando essa casa para sempre, deixando este mundo, este Universo…

J.P

Arcade Fire - Milk & Honey (Alan Watts & 641) - HER Sountrack 

6 months ago - 2
officialfrenchtoast:

”..the Son of Man came not to be served, but to serve..”
-Matthew 20:28

officialfrenchtoast:

”..the Son of Man came not to be served, but to serve..”

-Matthew 20:28

(via exeggcute)

(Source: olderoticart)

suicideblonde:

Elizabeth Mitchell and Angelina Jolie in Gia

(Source: sickmarla)

exhibition-ism:

Grammy nominated artist Serge Gay Jr. has a new solo show at Spoke Art in San Francisco. It’s on view until April 26th, be sure to go check it out!